Monday, January 18, 2016

[Opinião] Na Sombra da Vida

Título: Na Sombra da Vida (Lover Reborn)
Série: Irmandade da Adaga Negra (Black Dagger Brotherhood #10)
Autor(a): J.R. Ward
Editora: Casa das Letras

Desde a morte da shellan que Tohrment é uma sombra do líder vampiro de outrora. Fisicamente debilitado e profundamente destroçado, foi levado de volta à Irmandade por um anjo caído egocêntrico. De regresso à guerra com um desejo de vingança implacável, não está preparado para enfrentar um novo tipo de tragédia. Quando Tohr começa a ver a sua amada em sonhos - presa num mundo frio e isolado, longe da paz e da tranquilidade do Vápido - aceita a ajuda do anjo, na esperança de salvar quem perdeu. No entanto, como Lassiter lhe diz que tem de aprender a amar outra vez para libertar a sua antiga companheira, Tohr apercebe-se de que estão todos condenados... É nessa altura que uma fêmea com uma história obscura começa a aproximar- -se dele. No cenário da guerra com os minguantes e com um novo clã de vampiros a almejar o trono do Rei Cego, Tohr debate-se entre o passado enterrado e um futuro escaldante e cheio de paixão... mas será capaz de libertar o coração, e a todos eles?


Na Sombra da Vida centra-se na personagem Thor, um dos Irmãos da Irmandade da Adaga Negra, que perdeu a sua shellan. Casados durante séculos, nada podia prever a morte de Wellessandra, e quando Thor se vê num mundo em que a sua amada e o seu filho por nascer não existem, desiste da vida.
As lutas e os ferimentos, não passam de distracções e de golpes para atenuarem a sua sede de vingança. Mas nada consegue acalmar esse frio, essa dor que o consome.

Quando o Anjo Lassiter diz a Thor que para que a sua amada parta para o Vápido (Céu) Thor tem que seguir a sua vida, o Irmão não consegue perceber como isso poderá ser possível. Mas é uma figura feminina, agora conhecida por No'One, que é a salvação de Thor.

Thor salvou-a no passado e agora é a vez de No'One retribuir. E é a partir daqui que o livro tem uma das histórias de amor mais bonitas até agora, na minha opinião. Há demasiado sofrimento de ambas as partes e ambos lutam para perdoar, esquecer, viver.

Mas quando Thor finalmente se apercebe de como ama No'One, agora Autumn, é tarde demais. A discussão entre ambos foi feia e o Irmão pensa que não há salvação. Até conversar novamente com ela, ao fim de dias, depois de ter tomado uma grande decisão: é hora de dizer adeus a Wellessandra e deixá-la partir. De se desfazer das suas coisas para não viver num mundo de mentira. Pois nunca a terá de volta.

Autumn apercebe-se do quanto ama Thor na cerimónia que permitirá Wellessandra partir para o Vápido com o seu filho. Mas depois de tanto suor, sangue e lágrimas, Autumn desaparece, seguida de Lassiter.
Em toda uma realidade infeliz, Autumn estava no seu próprio Limbo, à procura de perdão e de uma nova oportunidade no amor. E quando o seu amor se revela as portas do Vápido abrem-se para a receber.

Lassiter, depois de tanto ajudar o casal, não pode permitir que Thor sofra uma nova perda e intercede a favor de Autumn, que, felizmente, regressa para os braços do guerreiro. Já o Anjo, tem também uma oportunidade, porque fora colocado à prova, mostrando que se preocupa com os outros e não só consigo.

Neste livros não temos personagens novas (que me lembre) mas Autumn e Lassiter foram o ponto alto do livro.

A história de John e Xhex viu-se por um fio neste livro e felizmente, pelo menos por agora, tudo está bem.

E agora falemos do tópico que mais mexe comigo desde que Qhuinn se tornou a minha personagem preferida: Layla. Não consigo de modo algum vê-los juntos. Eu sei, agora a Escolhida já percebeu que são apenas amigos. E eu até já gosto um bocadinho dela. Mas a exigência que ela fez a Qhuinn neste livro e a qual ele aceitou deixou-me de cabelos em pé.
Eu percebo que seria uma grande mudança; eu percebo que o faria feliz e tudo o que quero é vê-lo feliz. Mas bolas!, eu quero vê-lo feliz com Blay e ponto final.

Este livro foi também cruel para o meu coraçãozinho porque teve cenas de cortar a respiração. Mas no fim, tudo correu bem. Agora só espero que consigam resolver o problema com o inimigo no próximo livro, porque penso que é um assunto que deve avançar.

O ponto baixo deste livro foi a linguagem. Ainda estou arrepiada com algumas palavras usadas. Sei que a autora escreve sim algumas asneiras, mas algumas das traduções foram péssimas. Por mim, mesmo que estivessem no livro originial, podiam ter sido riscadas na tradução. Porque fizeram-me mesmo revirar os olhos. Nem sequer vou comentar os longos fucks que iam aparecendo. Mas mamada para mim é uma expressão horrível.
Também há alguns erros estruturais nas frases, mas esses até passam, porque acho que não passa de um erro de tradução.
Mas foi sem dúvida estes pormenores que não me permitiram dar pontuação máxima a um livro tão arrebatador.


2 comments :

  1. Prometo comentar devidamente depois de ler o livro porque agora não quero spoilers. :D

    ReplyDelete

Back to Top