Monday, January 25, 2016

[Opinião] Na Sombra da Paixão

Título: Na Sombra da Paixão (Lover at Last)
Série: Irmandade da Adaga Negra (Black Dagger Brotherhood #11)
Autor(a): J.R. Ward
Editora: Casa das Letras

Qhuinn, filho de ninguém, habituou-se a estar por sua conta. Expulso da linhagem e rejeitado pela aristocracia, encontrou finalmente uma identidade como um dos mais impressionantes combatentes na guerra contra a Sociedade dos Minguantes. Contudo, a sua vida não está completa. Mesmo perante a perspetiva de vir a ter a sua própria família, sente-se vazio por dentro e entregou o coração a outra causa...

Depois de anos de amor não correspondido, Blay ultrapassou os sentimentos por Qhuinn. E já não era sem tempo: o macho encontrou a parceira perfeita numa fêmea Escolhida, e vão ter um filho – aquilo que Qhuinn sempre quis. É difícil imaginá-los como casal, mas quando se constrói uma vida em torno de um sonho vão, o sofrimento está sempre ao virar da esquina. Algo que o guerreiro aprendeu por si próprio.

O destino parece ter levado os dois vampiros soldados por caminhos diferentes, mas com o recrudescer da batalha pelo trono, e com novos atores em cena em Caldwell a criarem mais riscos para a Irmandade, Qhuinn acaba por descobrir a verdadeira definição de coragem e dois corações que devem ficar juntos acabam por fim por se tornar num só. 


Em primeiro lugar, não posso deixar de comentar a capa deste livro. Sim, Qhuinn tem a adaga na mão; sim, Qhuinn tem as pulseiras nos braços; mas não, não há sequer uma amostra dos olhos da personagem. E na minha opinião, isso era tão importante. Era por isso que gostava que a capa fosse como a original.

Na Sombra da Paixão é o livro que eu desejava ler desde que começámos a ter um vislumbre da relação de Qhuinn e Blay.

Amigos desde sempre, Blay sempre foi apaixonado por Qhuinn e verdadeiramente conhecedor da sua homossexualidade. Mas para Qhuinn não era bem assim. E este livro, depois de muitas reviravoltas entre ambos, é também um abrir de olhos para Qhuinn, que mesmo mesmo no fim consegue finalmente perceber o que estava entre ele e a sua revelação.

Este livro tem muitas histórias paralelas, muitos capítulos sobre personagens que apareceram com mais frequência no volume anterior e, para ser sincera, houve alturas em que foi demais. Agarrei-me a este livro para ler a história entre Qhuinn e Blay e por vezes parecia que era um livro sobre Trez (que por acaso terá o seu livro daqui a uns dias publicado em Portugal) ou até mesmo de Assail. Já para não falar de Xcor, que continua a aparecer com demasiada frequência e que, de momento, parece levar Layla num caminho escuro do qual não sei se ela conseguirá regressar.

Outro dos assuntos principais deste livro era a gravidez de Layla. A Escolhida e Qhuinn decidiram ter um filho juntos no livro anterior para poderem ter uma família. Para poderem ter uma cria do seu próprio sangue. Mas neste livro, depois de Payne proporcionar um milagre ao casal e parar o aborto da cria, pouco ou nada mais houve a falar sobre este assunto. Pensava que era já neste livro que veríamos o nascimento da menina, apesar de ser um pouco abrupto se acontecesse, mas este assunto tão importante para Qhuinn foi um pouco colocado de parte.

Desde sempre que sabia que Qhuinn era um excelente lutador e depois do salvamento de Wrath no livro anterior e dos salvamentos neste livro, não podia esperar nada mais do que a sua ascensão a Irmão. E saber que foi John quem teve a ideia e que todos os irmãos concordaram não me podia deixar mais feliz.

O final do livro deixou-me de coração cheio. Qhuinn ao fim de mais de 600 páginas assumiu finalmente o seu amor por Blay e a história entre ambos não podia ter sido mais bonita. Ainda me custa a acreditar que o "brutamontes" do Qhuinn gosta de se aconchegar depois de fazerem amor e que é tão ou mais carinhoso que Blay.
O pedido de casamento a Blay foi a cereja no topo do bolo, especialmente depois de Qhuinn o ter pedido aos pais de Blay.

Todos os momentos deste casal fazem-me sentir tão mas tão feliz. Este livro foi tudo. E mesmo com histórias a mais pelo meio, pela história principal, eu não poderia dar menos do que 5 estrelas a este livro.

1 comment :

  1. Já sabes, leio a tua opinião e comento depois de ler o livro.
    Tenho de ganhar coragem para levar esses monstros comigo para o trabalho.

    ReplyDelete

Back to Top